O povo de Deus deve separar-se do mal

Lição 7: O Povo de Deus deve Separar-se do Mal
Texto Áureo: “Pelo que saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei.” (2 Coríntios 6.17)

Leitura Bíblica em Classe: Esdras 2.59-62; 4.2,3; 6.2-4

Introdução: O cristão tem que vigiar muito para não se associar com o que pode comprometer o seu testemunho ou com quem tenta lhe levar a desobediência a palavra de Deus. Israel é um exemplo que não deve ser imitado, pois por advertência divina, eles não poderiam se misturar com nações pagãs na terra de Canaã; no entanto, eles não deram ouvidos a voz do Senhor, e se inclinaram para a idolatría. Como a desobediência a voz de Deus tem consequências, eles foram disciplinados por causa disso. Isso foi uma constante por toda a Antiga Aliança, mesmo com os profetas que Deus levantou para os advertir, eles constantemente se voltavam para os deuses do paganismo. Assim, a igreja não pode seguir esses maus exemplos, não se deixando enganar por doutrinas não condizentes com a pura palavra de Deus  e rejeitando a doutrina dada por Cristo e os apóstolos. Temos que estar edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas através da sã doutrina.
1. Não se pode ingressar no sacerdócio sem ter qualificação para esse ofício.
Esdras 2.59 – Também estes subiram de Tel-Melá e Tel-Harsa, Querube, Adã e Imer, porém não puderam mostrar a casa de seus pais e sua linhagem, se de Israel eram. 60 – Os filhos de Delaías, os filhos de Tobias, os filhos de Necoda, seiscentos e cinquenta e dois. Esdras 2.61 – E dos filhos dos sacerdotes: os filhos de Habaías, os filhos de Coz, os filhos de Barzilai, que tomou mulher das filhas de Barzilai, o gileadita, e que foi chamado do seu nome. Esdras 2.62 – Estes buscaram o seu registro entre os que estavam registrados nas genealogias, mas não se acharam nelas; pelo que por imundos foram rejeitados do sacerdócio.

Tinha a massa pura dos judeus e tinha a massa misturada, ou seja, os judeus que tinham uma genealogia confirmada e os que se diziam judeus, que tinham uma genealogia duvidosa, principalmente dos que se diziam ser sacerdotes. Desse modo os sacerdotes duvidosos não podiam participar das funções sacerdotais, por receio de contaminarem o culto sagrado ao Senhor. Muitos queriam o sacerdócio para poderem receber os proventos financeiros, e sendo desautorizados não tinham o direito de participar dos sacrifícios dados aos sacerdotes. Nesse caso teriam que trabalhar em algum lugar para sustentar a si e a família. Querer ser um ministro muitos querem, mas para ser separado para tal ofício é necessário ter qualificação e essencialmente ter a aprovação divinaA unção para o ofício sacerdotal só é dada ao que realmente tem o chamado para isso, pois Deus não tem compromisso com quem quer ser o que não pode ser. 
2. Não se pode aceitar o sincretismo religioso que quer associar ao Evangelho.
Esdras 4.2 – Chegaram-se a Zorobabel e aos chefes dos pais e disseram-lhes: Deixai-nos edificar convosco, porque, como vós, buscaremos a vosso Deus; como também já lhe sacrificamos desde os dias de Esar-Hadom, rei da Assíria, que nos mandou vir para aqui.

Houve um apelo dos samaritanos a Zorobabel para participarem da construção do templo, mas apesar de afirmarem estar engajados no culto ao Senhor, isto não tirava deles o elemento pagão, algo totalmente abominável para fazerem parte tanto da obra como também no culto ao Senhor. A adoração sincretista é algo que não poderia ser incorporada nos cultos ao Senhor, a qual revelava que não eram adoradores autênticos, portanto não poderiam também participar no projeto da reconstrução do Templo e nem do serviço sacrificial. Esse sincretismo religioso, disfarçadamente entrou no meio evangélico tradicional, que é identificado pelo modelo da igreja nos seus primórdios contaminando o que é puro. Isso é visto em nossos dias explicitamente sendo praticado, o que tem levado muitos a uma prática de culto que tem similaridade com as práticas do paganismo.
3. Não se pode adequar na edificação da obra homens com segunda intenções.
Esdras 4.3 – Porém Zorobabel, e Jesua, e os outros chefes dos pais de Israel lhes disseram: Não convém que vós e nós edifiquemos casa a nosso Deus; mas nós, sós, a edificaremos ao SENHOR, Deus de Israel, como nos ordenou o rei Ciro, rei da Pérsia.

O líder Zorobabel foi firme em sua decisão de não aceitar esses pagãos em base de igualdade com os verdadeiros judeus na construção do Templo, como também para qualquer ofício sacerdotal. Esses samaritanos com a rejeição dos mesmos em se integrarem na obra e nos cultos no templo foram os mesmos que edificaram seu próprio templo no Monte Gerizim, o que é citado no encontro de Jesus com a mulher samaritana. Israel era uma nação separada das outras, assim como deve ser a Igreja, que tem uma missão a cumprir neste mundo. Se de algum modo a corrupção contaminasse a fé do povo o sucesso da obra estaria em perigo, pois é isso que Satanás quer que aconteça e trabalha sempre nesse sentido. Nós somos o templo de Deus e não podemos ter qualquer união com a idolatria, se quisermos que Ele esteja conosco e sermos reconhecidos como seu povo.
4. Não se pode esquecer que os olhos de Deus estão sobre quem faz Sua obra.

Esdras 6.2 – E em Acmetá, no palácio que está na província de Média, se achou um rolo, e nele estava escrito um memorial, que dizia assim: Esdras 6.3 – No ano primeiro do rei Ciro, o rei Ciro deu esta ordem: Com respeito à Casa de Deus em Jerusalém, essa casa se edificará para lugar em que se ofereçam sacrifícios, e seus fundamentos serão firmes; a sua altura, de sessenta côvados, e a sua largura, de sessenta côvados, Esdras 6.4 – Com três carreiras de grandes pedras, e uma carreira de madeira nova; e a despesa se fará da casa do rei.
Diante de tantos conflitos e oposições a obra mesmo sofrendo paralisações continuou sendo edificada e com ordens do Rei Ciro que havia expedido anteriormente por decreto o qual não podia ser cancelado ou alterado segundo a lei dos Medos e Persas. O templo reconstruído não tinha mais a grande aparência do anterior, mas Deus não estava preocupado com isso, e sim com a espiritualidade do povo que estava em nível baixíssimo. Os olhos de Deus estão atentos a tudo, tanto aos que o servem, como aos que não o servem, mas nós que o servimos devemos fazer com perseverança e não precisamos temer o que os opositores podem nos fazer. Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel