A construção do templo enfrentou oposição

Lição 04 – A CONSTRUÇÃO DO TEMPLO ENFRENTOU OPOSIÇÃO.
Texto Áureo: Assim, edificamos o muro, e todo o muro se cerrou até sua metade; porque o coração do povo se inclinava a trabalhar. (Ne 4.6)
Leitura Bíblica em Classe: Esdras 4.7,9,11-13,15,16,21-24 

Introdução: Oposição significa impedimento, ou obstáculo contra algo que está em andamento. Isso acontece em vários segmentos, e aqui no caso em se tratando das coisas do reino de Deus, as oposições são contínuas e vem dos que estão aliados ao Diabo. Assim como Deus tem os seus instrumentos que militam legitimamente em favor da Sua causa, que é preservar a integridade do Evangelho puro da Sua graça, para que almas sejam conduzidas no caminho verdade que leva para o céu. O Diabo é o maior opositor da obra de Deus e, em relação a Israel, ele conseguiu muitas vitórias, isto porque, Israel, não generalizando, foi um povo de dura cerviz, o que deu vantagem ao Diabo de impor muitas derrotas a esse povo. Com a fundação da Igreja pós Cruz, o Diabo se voltou contra ela de uma forma ardilosa agindo de várias maneiras, e o seu maior trunfo foi introduzir o joio no meio do trigo. Jesus advertiu sobre isso quando disse que surgiriam falsos pastores que fariam milagres e maravilhas e enganariam a muitos, até mesmo os escolhidos. Assim podemos identificar esses lobos devoradores que induzem a fé do povo a se voltar para o materialismo com a herética doutrina da prosperidade e da cura fácil.
1. Sempre haverá oposições  quando o povo de Deus se dispõe a servir na obra.
Esdras 4.7- E, nos dias de Artaxerxes, escreveu Bislão, Mitredate, Tabeel e os outros da sua companhia a Artaxerxes, rei da Pérsia; e a carta estava escrita em caracteres aramaicos e na língua siríaca. Esdras 4.9- Então, escreveu Reum, o chanceler, e Sinsai, o escrivão, e os outros da sua companhia: dinaítas e afarsaquitas, tarpelitas, afarsitas, arquevitas, babilônios, susanquitas, deavitas, e lamitas. Esdras 4.11- Este, pois, é o teor da carta que ao rei Artaxerxes lhe mandaram: Teus servos, os homens daquém do rio e em tal tempo.
Os inimigos opositores ao redor, ou seja, das cercanias de Jerusalém, preocupados com as perdas que teriam com a reconstrução do Templo procuraram usar de qualquer meio para interromper essa reconstrução. A maioria desses opositores eram os samaritanos e outros povos, os quais exploravam o comércio em Jerusalém, que embora em ruínas, era um lugar de grande visitação, o que rendia vultosos lucros para esses comerciantes. Os judeus remanescentes que ficaram em Jerusalém quando os cativos foram levados para a Babilônia, também estavam aliados com esses povos das cercanias e não ofereciam qualquer resistência contra eles. Porém quando os cativos retornaram dispostos a fazer a obra de Deus com a reconstrução do Templo, início dos cultos e a reconstrução dos muros, aí, os opositores se levantaram, como sempre se levantam contra, aos que servem a Deus fielmente.
2. Os opositores exercem intentos maliciosos para causar danos a obra de Deus.
Esdras 4.12 – Saiba o rei que os judeus que subiram de ti vieram a nós a Jerusalém, e edificam aquela rebelde e malvada cidade, e vão restaurando os seus muros, e reparando os seus fundamentos. Esdras 4.13 – Agora, saiba o rei que, se aquela cidade se reedificar, e os muros se restaurarem, eles não pagarão os direitos, os tributos e as rendas; e assim se danificará a fazenda dos reis.
Os opositores se valeram de intentos maliciosos e inescrupulosos para usar de uma mentira nas cartas que enviaram a rei sobre as obras em Jerusalém. O que estava sendo reconstruído era o templo e não os muros, mas eles mentiram que o muro também estava sendo reconstruído. Fizeram isso se valendo de que o decreto do rei que era somente para reconstruir o Templo e não os muros. Desse modo, eles convenceram o rei a mandar paralisar as obras, e se valendo da ordem do rei para paralisar as obras, eles incluíram com sutileza, a da reconstrução do templo, que era o objetivo deles. Os opositores usaram de sutileza e maldade tomada por uma influência diabólica para alcançar os seus intentos malignos.
3. Os opositores procuram rebuscar erros do passado para acusar no presente.
Esdras 4.15 – para que se busque no livro das crônicas de teus pais, e, então, acharás no livro das crônicas e saberás que aquela foi uma cidade rebelde e danosa aos reis e províncias e que nela houve rebelião em tempos antigos; pelo que foi aquela cidade destruída. Esdras 4.16 – Nós, pois, fazemos notório ao rei que, se aquela cidade se reedificar e os seus muros se restaurarem, desta maneira não terás porção alguma desta banda do rio.

O rei da Pérsia deixou-se enganar pela mentira e falsidade bem arquitetada pelos samaritanos sem examinar as alegações da parte deles no sentido de apurar a sua veracidade, ou não. O rei consultando os registros referentes a Jerusalém descobriu que as alegações tinham sentido no que no passado haviam se rebelado contra o rei da Babilônia, o que poderia acontecer novamente se os judeus fortificassem a cidade, principalmente com os muros restaurados. Nesse caso a mentira dos opositores prevalecia, pois não era a cidade e os muros que estavam sendo reconstruídos.
4. Os opositores podem até conseguir seus intentos, mas é só por pouco tempo.
Esdras 4.21- Agora, pois, dai ordem para que aqueles homens parem, afim de que não se edifique aquela cidade, até que se dê uma ordem por mim. Esdras 4.22- E guardai-vos de cometerdes erro nisso; por que cresceria o dano para prejuízo dos reis?
Com sutileza nas suas intenções malignas os opositores não mencionaram a reconstrução do templo e sim a reconstrução da cidade e seus muros, pois se mencionasse o Templo certamente o Rei teria mais cuidado e checaria a denúncia deles. Como não havia um decreto para reconstrução da cidade e seus muros, os opositores pediram que ela não fosse reconstruída com seus muros e portas, alegando que isso poderia fortalecer os judeus em prejuízo dos reis.
5. Se o povo não reage aos opositores, dá chance de avançar em seus intentos
Esdras 4.23 – Então, depois que a cópia da carta do rei Artaxerxes se leu perante Reum, e Sinsai, o escrivão, e seus companheiros, apressadamente foram eles a Jerusalém, aos judeus, e os impediram à força de braço e com violência. Esdras 4.24 – Então, cessou a obra da Casa de Deus, que estava em Jerusalém, e cessou até ao ano segundo do reinado de Dario, rei da Pérsia.
Quando os opositores alcançaram os seus intentos fraudulentos com o recebimento da carta que os favorecia, apressadamente foram a Jerusalém, para notificar os edificadores dessa proibição e o pior, eles usaram de violência forçando a paralisação da obra do templo. Na realidade a preocupação maior dos opositores não era a reconstrução da cidade e dos muros e sim com a reconstrução do Templo, o que revela que o inimigo oculto, o próprio Satanás estava agindo nessa situação. Isto porque, a retomada dos cultos fortaleceria espiritualmente os judeus, o que não seria bom para Satanás, pois isso enfraqueceria o seu domínio em Jerusalém. A existência de Israel põe o povo em constante e renovada dependência de Deus, assim como a existência da Igreja, da mesma forma põe o povo em constante e renovada dependência de Deus. Estamos vivendo nessa caminhada no meio de várias religiões concorrentes que não são de Deus, mas se camuflam parecendo ser e que na realidade são os opositores daqueles que verdadeiramente estão fazendo a obra do Senhor.  

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

Deixe um comentário