Lição 5 – O Lamento de Jó

 Lição 5 – O Lamento de Jó
Texto Áureo: “Porque antes do meu pão vem no meu suspiro; e os meus gemidos se derramam como água.” (Jó 3.24)
Leitura Bíblica em Classe: Jó 3.1-26 

Introdução: O lamento de Jó veio através de um sentimento que o levou a quase um estado de loucura que através do seu monólogo levou-o a entrar em choque com o Deus Todo Poderoso. Digo monólogo, pois durante sete dias, ele falou consigo mesmo expondo suas agruras sem perspectivas de que sua situação poderia se reverter. Todas as suas expressões através da sua elocução eram diuturnamente monitoradas por Satanás que torcia para que no auge do seu desespero viesse a blasfemar contra Deus.  Lembrando que se Jó viesse a blasfemar, Deus perderia o desafio e isso seria algo extremamente trágico dentro do reino espiritual. Só que Deus entrou nesse desafio sabendo que ia ganhar, pois conhecia Jò no oculto e no profundo. 

  1. No pior do sofrimento, não amaldiçoe seu dia, pois isso é contender com Deus. 

Jó 3.1- Depois disto, abriu Jó a boca e amaldiçoou o seu dia. Jó 3.2- E Jó, falando, disse: Jó 3.3- Pereça o dia em que nasci, e a noite em que se disse: Foi concebido um homem! Jó 3.4- Converta-se aquele dia em trevas; Jó 3.5- Contaminem-no as trevas e a sombra da morte; habitem sobre ele nuvens; e, ali, repousam os cansados. negros vapores do dia o espantem! 

Jó, ficou em silêncio durante sete dias, silêncio este, que também foi acompanhado pelos seus três amigos e quando abriu a sua boca amaldiçoou o seu dia chegando perto da blasfêmia, que era o que Satanás queria. Embora a sua dor causada por esse infortúnio fosse tão grande, não o levou ao ponto de blasfemar contra Deus, apenas lamentou-se por estar vivo e ter de experimentar tão grande dor. Ele proferiu maldição, mas não contra Deus, conforme Satanás disse que ele faria. Ele desejou jamais ter nascido, ou que tivesse morrido na ocasião do seu nascimento, mas em momento algum pensou em suicidar-se. Na sua dor, Jó caiu numa fase de pessimismo dizendo que a sua existência era um mal. Homens bons também falham, pois não deveria ter amaldiçoado o seu dia e, essa foi uma das suas fraquezas. A vida é uma dádiva de Deus, mas como nascemos num mundo corrompido pelo pecado e com Satanás e seus demônio agindo, não há como escaparmos de situações adversas, principalmente aqueles que se refugiaram em Deus, os quais são os alvos mais atacados por esse ser maligno. 

  1. Quem se queixa da sua existência é porque está preso a uma dura escravidão.

Jó 3.6 – A escuridão tome aquela noite, e não se goze entre os dias do ano, e não entre no número dos meses! Jó 3.7- Ah! Que solitária seja aquela noite e suave música não entre nela! Jó 3.8 – Amaldiçoem-na aqueles que amaldiçoam o dia, que estão prontos para fazer correr o seu pranto. Jó 3.9- Escureçam-se as estrelas do seu crepúsculo; que espere a luz, e não vê. 

A vida é a nossa amiga e a morte a nossa inimiga, mas se preservarmos a nossa vida pelas veredas da justiça, a nossa vida estará preservada e destinada para a dimensão celestial, onde não a morte não encontrará mais lugar. A vida pode reservar surpresas boas, com também surpresas ruins, mas quando os percalços fatídicos surgem em nosso horizonte e são inevitáveis num sentido geral, principalmente para os servos de Deus, não podemos nos aprofundar no ostracismo da negatividade. Entrar nessa condição deprimente é algo que satisfará Satanás, o qual se empenha usando de vários meios para que isso venha a acontecer. A sua sina é nos derrotar, mas a bíblia diz que se resistirmos ao Diabo, ele fugirá de nós.  

  1. Por causa de angústias e destruições na tua vida não lamente por ter nascido.

Jó 3.10 – Porquanto não fechou as portas do ventre, nem escondeu dos meus olhos a canseira. Jó 3.11- Por que não morri eu desde a madre e, em saindo do ventre, não expirei? Jó 3.12 – Por que me receberam os joelhos E por que os peitos, para que mamasse? Jó 3.13 – Porque já agora jazeria e repousaria; dormiria, e, então, haveria repouso para mim 

Jó passava por um descontentamento extremado e nessa condição teve ímpetos de insensatez mais próximo a um estado de loucura amaldiçoando a noite da sua concepção e o dia do seu nascimento. No estado de negatividade que se encontrava, com a mente perturbada, mesmo sendo um homem sábio, ignorou que a concepção é uma bênção de Deus e se amaldiçoamos essa bênção, não estamos levando em consideração a bondade de Deus. Também é ignorado que no momento da concepção do corpo biológico, Deus gera o espírito, que é o que na realidade nós somos. Que fique bem claro: o homem é um espírito eterno num corpo de carne. Se este espírito mortificado pela velha natureza não for ressuscitado, o seu destino é o inferno. Como Jesus disse a Nicodemos: vos é necessário nascer de novo. 

  1. Somos iguais diante da morte, mas não deseje o alívio que a morte pode trazer.

Jó 3.14 – com os reis e conselheiros da terra que para si edificaram casas nos lugares assolados, Jó 3.15 – ou com os príncipes que tinham ouro, que enchiam as suas casas de prata Jó 3.16 – Ou, como aborto oculto, não existiria; como as crianças que nunca viram a luz! Jó 3.17- Ali, os maus cessam de perturbar e, ali, repousam os cansados.  Jó 3.18- Ali, os presos juntamente repousam e não ouvem a voz do exator. 

Ninguém pode escapar da morte, o homem até que estuda meios pela ciência para um prolongamento da vida, mas nunca conseguirão, pois Deus abreviou o tempo de existência do homem sobre a superfície da terra entre setenta a oitenta anos com alguma exceção que pode ir um pouco mais além. Não importa se é rico ou pobre, pois todos estão na mesma condição quanto a morte física. Mas, há uma condição em que o homem pode escapar da morte e a bíblia aponta para a ocasião do arrebatamento da igreja. Para isso é preciso estar em Cristo e na condição de salvo, como também o arrebatamento aconteça no seu tempo de vida. Assim quem estiver ainda vivo na ocasião do arrebatamento, o corpo não conhecerá a morte, pois será transformado e transladado para as regiões celestiais com um corpo incorruptível e glorificado.  

  1. Não deixe a dor te fazer esquecer das alegrias salvíficas sem esperança futura.

Jó 3.19 – Ali, está o pequeno e o grande, e O servo fica livre de seu senhor. Jó 3.20 – Por que se dá luz ao miserável e vida aos amargurados de ânimo, Jó 3.21- que esperam a morte, e ela não vem; e cavam em procura dela mais do que de tesouros ocultos; Jó 3.22- que de alegria saltam, e exultam, achando a sepultura? 

Não podemos deixar que a impaciência gerada pela irracionalidade venha nos impulsionar ao ponto de menosprezar a graça de Deus por mais amarga que a vida possa ser; isso é ir contra as Suas misericórdias, que são a causa de não sermos consumidos. Não é racional desejar a morte para que possa ser liberto dos infortúnios da vida, pois isso é uma ofensa ao Deus que nos gerou como espírito que somos. Devemos entender que devemos viver para o Senhor e morrer para o Senhor, e ser dele em ambas as situações. O apóstolo Paulo disse que devemos dar graças em tudo e sofrer com ele as aflições de Cristo como um bom soldado que milita legitimamente sem se embaraçar com os negócios desta vida. Jesus disse que no mundo teríamos aflições, mas mandou que tivéssemos bom ânimo, pois ele venceu e nos ajuda vencer também, pois está conosco todos os dias até a consumação dos séculos. 

  1. Exigir de Deus o porque da causa do seu sofrimento, não convém a um cristão.

Jó 3.23 – Por que se dá luz ao homem, cujo caminho é oculto, e a quem Deus o encobriu? Jó 3.24 – Porque antes do meu pão vem O meu suspiro; e os meus gemidos se derramam como água. Jó 3.25- Porque 0 que eu temia me veio, e o que receava me aconteceu. Jó 3.26 – Nunca estive descansado, nem sosseguei, nem repousei, mas veio sobre mim a perturbação. 

O estado de aflição de alguém podem gerar transtornos, nas sua faculdade psíquica alguns sentimentos de morte, pois não é fácil passar por grandes sofrimentos, mas a graça divina nos ensina que devemos superar esses sentimentos e sempre desejar viver. Se não virmos nenhum caminho aberto em direção à libertação, não é motivo para entrarmos em desespero, pois Deus está no controle de tudo. É comum exigirmos de Deus a causa do nosso sofrimento, mas essa não é uma postura adequada para quem professa o Seu nome com Senhor. Não podemos esquecer que temos um inimigo que nos odeia e usa de todos os meios para ver a nossa derrota, mas fiel é Deus que nos dá vitória em nome do Senhor Jesus. Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; 1 Pedro 5:8

Pastor Adilson Guilhermel