Lição 13 – Quando Deus Restaura o Justo

Lição 13 – Quando Deus Restaura o Justo
Texto Áureo: “E o SENHOR virou o cativeiro de Jó, quando orava pelos seus amigos; e o SENHOR acrescentou a Jó outro tanto em dobro a tudo quanto dantes possuía.”(Jó 42.10)
Leitura Bíblica em Classe: Jó 42.1-17

Introdução: A fé vem pelo ouvir, e ouvir a palavra de Deus e Jó depois de todos os seus discursos em debate com os seus amigos adquiriu essa fé, quando calado ouvir Deus falar tudo que ele precisava ouvir. Tanto Jó como os seus amigos no debate que travaram falaram muita coisa que não foram do agrado de Deus, não sabendo que Ele estava atento a todos os discursos. Assim inesperadamente Deus se manifesta com um discurso de profunda sabedoria, deixando principalmente Jó, a quem o Senhor se dirigiu, totalmente constrangido pela sua ignorância em relação às suas falas contra a justiça divina. Jó com toda humildade aceitou sem questionar a repreensão de Deus, a qual na realidade era totalmente didática para a sua compreensão e transformação e crescimento espiritual.  Quando Deus fala a Sua palavra devemos atentar com humildade do coração e dar ouvidos a toda exortação e acolhê-la de bom grado, pois a disciplina divina nos trás para mais perto dele.  

1. A CONFISSÃO DE JÓ REVELA A SUA IGNORÂNCIA AO PLANO DE DEUS E A SUA GRANDEZA.
Jó 42.1 – Então, respondeu Jó ao SENHOR e disse: Jó 42.2 – Bem sei eu que tudo podes, e nenhum dos teus pensamentos pode ser impedido. Jó 42.3 – Quem é aquele, dizes tu, que sem conhecimento encobre o conselho? Por isso, falei do que não entendia; coisas que para mim eram maravilhosíssimas, e que eu não compreendia. Jó 42.4 – Escuta-me, pois, e eu falarei; eu te perguntarei, e tu ensina-me. Jó 42.5 – Com o ouvir dos meus ouvidos ouvi, mas agora te vêem os meus olhos. Jó 42.6 – Por isso, me abomino e me arrependo no pó e na cinza.
Todo esforço desprendido por Jó em pleitear a sua causa diante de Deus foi um completo fracasso, pois o que ele tentou pleitear não o justificava visto que usou de palavras duras contra o Senhor. Após ouvir tudo que Deus tinha para falar, ele reconheceu a sua ignorância e só lhe restava se humilhar diante do Senhor e reconhecer a Sua justiça e os Seus propósitos os quais eram ao seu favor. Quando ouvimos as exortações da palavra de Deus no sentido corretivo temos que admitir os nossos erros, assim como Jó admitiu a sua ignorância em ter falado coisas contrárias à justiça de Deus. Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor, pois Ele se revela através da Sua palavra. Mesmo tendo dirigido palavras que chegaram a contrariar  o Senhor, Jó se comportou como servo servindo ao Senhor suportando todo o sofrimento sem amaldiçoá-lo, o qual era o propósito de Satanás, dessa forma o maligno foi derrotado perdendo o desafio com Deus.
2. A RESTAURAÇÃO ESPIRITUAL DOS AMIGOS DE JÓ, QUE ATUA COMO MEDIADOR POR ELES.
Jó 42.7 – Sucedeu, pois, que, acabando o SENHOR de dizer a Jó aquelas palavras, o SENHOR disse a Elifaz, o temanita: A minha ira se acendeu contra ti, e contra os teus dois amigos; porque não dissestes de mim o que era reto, como o meu servo Jó. Jó 42.8 – Tomai, pois, sete bezerros e sete carneiros, e ide ao meu servo Jó, e oferecei holocaustos por vós, e o meu servo Jó orará por vós; porque deveras a ele aceitarei, para que eu vos não trate conforme a vossa loucura; porque vós não falastes de mim o que era reto como o meu servo Jó. Jó 42.9 – Então, foram Elifaz, o temanita, e Bildade, o suíta, e Zofar, o naamatita, e fizeram como o SENHOR lhes dissera; e o SENHOR aceitou a face de Jó.
É preciso ressaltar que essa passagem bíblica ocorreu na quarta dispensação, ou seja, na dispensação da Promessa ou Patriarcal e nesse tempo não havia lei, a qual só veio ser promulgada na dispensação da lei estabelecida por Deus no Sinai e dada a Moisés. Portanto, não havendo lei os pecados não eram imputados, portanto não se caracterizando como dolosos. Não foi o caso de Jó e seus amigos, pois tudo que eles debateram envolvendo o nome de Deus, não era com más intenções, pois as suas falas nas suas ignorâncias a respeito das coisas divinas eram no sentido de consertar uma situação envolvendo Jó e Jó se defendendo. O conflito entre Jó e seus amigos envolvia a sua natureza moral, o qual se recusou a concordar com essas acusações. Todos estamos sujeitos aos infortúnios da vida e nem tudo que sobrevenha é oriundo de algum pecado cometido, daí é necessário cuidado para não estar levantando acusações por hipóteses. Deus que é misericordioso promove a restauração da aliança entre eles com Jó, pois a partir daí, eles mudariam a maneira de pensar. Jó por orientação divina atua como sacerdote deles oferecendo o sacrifício expiatório que lhe trazem e ora para que sejam livres da ira de Deus sobre eles. O humilhado será exaltado, e eles que haviam acusado a Jó, agora se humilham reconhecendo o seu sacerdócio. Deus aceitou a oração de Jó em favor dos seus amigos. A partir daí, eles teriam uma postura respeitosa para com Jó e não discutiriam mais os suas falas e conselhos. 
3. A RESTITUIÇÃO DO QUE SATANÁS TIROU DE JÓ É CONCEDIDA POR DEUS TUDO EM DOBRO.
Jó 42.10 – E o SENHOR virou o cativeiro de Jó, quando orava pelos seus amigos; e o SENHOR acrescentou a Jó outro tanto em dobro a tudo quanto dantes possuía. Jó 42.11 – Então, vieram a ele todos os seus irmãos e todas as suas irmãs e todos quantos dantes o conheceram, e comeram com ele pão em sua casa, e se condoeram dele, e o consolaram de todo o mal que o SENHOR lhe havia enviado; e cada um deles lhe deu uma peça de dinheiro, e cada um, um pendente de ouro Jó 42.12 – E, assim, abençoou o SENHOR o último estado de Jó, mais do que o primeiro; porque teve catorze mil ovelhas, e seis mil camelos, e mil juntas de bois, e mil jumentas. Jó 42.13 – Também teve sete filhos e três filhas. Jó 42.14 – E chamou o nome da primeira, Jemima, e o nome da outra, Quezia, e o nome da terceira, Quéren-Hapuque. Jó 42.15 – E em toda a terra não se acharam mulheres tão formosas como as filhas de Jó; e seu pai lhes deu herança entre seus irmãos. Jó 42.16 – E, depois disto, viveu Jó cento e quarenta anos; e viu a seus filhos e aos filhos de seus filhos, até à quarta geração. Jó 42.17- Então, morreu Jó, velho e farto de dias.
Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Eclesiastes 3:1. O tempo de sofrimento de Jó chegou ao final. O desafio de Deus com Satanás envolvendo a integridade de Jó foi ganho e o maligno teve que amargar a sua derrota. Chegou o tempo da restituição e Deus age com justiça e concede a Jó o dobro de tudo que Satanás havia tomado. Jó pode experimentar a restauração social que foi prejudicada com as calamidades e sofrimento que passou, quando todos se afastaram dele, com exceção dos seus amigos. Na restauração da família, Jó teve novos filhos e filhas, estas de grande beleza; na restauração material, ele ganhou muitos presentes de grande valor que serviu para adquirir animais reprodutores, que com a bênção de Deus se multiplicaram rapidamente chegando ao dobro de tudo que ele havia perdido. Até a idade de Jó foi dobrada, pois ele estava com setenta anos no período do seu sofrimento e morreu com cento e quarenta anos. Nesses últimos setenta anos de prosperidade, desde que Deus mudou a sua sorte, Jó pode também exercer o seu ministério sacerdotal e todos a partir daí, lhe daria toda a atenção aos seus ensinamentos acerca de Deus.
Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel