A Unidade da Raça Humana

A Unidade da Raça Humana
Lição 5: 2 de Fevereiro de 2020
Texto Áureo: Malaquias 2.10 Não temos nós todos um mesmo Pai? Não nos criou um mesmo Deus? Por que agimos aleivosamente cada um contra seu irmão, profanando a aliança de nossos pais?
Leitura Bíblica em Classe: Atos 17.22-28

Introdução: A humanidade não surgiu por um processo evolutivo, como defende os adeptos da teoria da evolução, os quais não creem no criacionismo. O pecado após a queda do homem corrompeu a unidade estabelecida no princípio ficando impossível voltar a essa condição em relação a humanidade espalhada pelo mundo. Deus insistindo nessa unidade, não no sentido geral separou um povo para si transformando esse povo em uma nação, a qual seria uma nação santa e propriedade exclusiva dele. Por certo tempo na dinastia davídica, essa unidade prevaleceu até o reinado de Salomão, mas após a sua morte, essa unidade que mantinha o reinado forte, se dividiu e a nação se enfraqueceu, ao ponto de quase desaparecer. Essa condição só não aconteceu porque essa nação estava sob uma pacto de Deus com Abraão e ainda terão uma nova chance de voltar a unidade no reino milenar.  A condição de Israel voltar a unidade foi adiada motivada pela sua rebeldia e nesse caso, Deus passa a insistir na unidade chamando gente de todas as nações para se integrar ao corpo espiritual de Cristo. Esse corpo é a Igreja, a qual Ele é o cabeça e ao contrário de Israel que não preservou a unidade, a Igreja deve insistir nisso preservando com todo cuidado a sua pureza e desviando-se de toda imoralidade.
1. Deus não só pode ser conhecido, mas veja como Ele quer ser conhecido.
Atos 17.22 E, estando Paulo no meio do Areópago, disse: Homens atenienses, em tudo vos vejo um tanto supersticiosos; Atos 17.23 Porque, passando eu e vendo os vossos santuários, achei também um altar em que estava escrito: ao deus desconhecido. Esse, pois, que vós honrais, não o conhecendo, é o que eu vos anuncio.
É com perspicácia do Apóstolo Paulo é vista aqui, em defender a sua fé usando de muito cuidado e com muito conhecimento e sabedoria para falar a uma platéia composta de muitos filósofos pagãos. Era um povo muito religioso, mas com uma fé voltada ao paganismo e isso corrompia a sua religião cada vez mais. Os atenienses tinham uma pluralidade de deuses pagãos confeccionados na forma de estatuetas, sendo uma para cada necessidade. Mas, por precaução receosos de esquecer de algum Deus, fizeram um altar para o Deus desconhecido, que era uma forma de não serem castigados. Paulo mostra aos ouvintes que o Deus verdadeiro pode ser conhecido, mas usando a figura do altar que eles erigiram revela como Ele deve ser conhecido. Usando desse argumento, os atenienses não poderiam ficar ofendidos, porque Paulo professou a sua fé no Deus que eles não conheciam, mas que sem conhecer, eles adoravam. Para evangelizar é preciso ter muito conhecimento da palavra e, muita perspicácia para com quem vai ser evangelizado.
2. Deus não está longe de cada um de nós e, é o doador de tudo para nós.
Atos 17.24 O Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens; Atos 17.25 Nem tampouco é servido por mãos de homens, como que necessitando de alguma coisa; pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, e a respiração, e todas as coisas;
O apóstolo Paulo fala com muita sabedoria a respeito do verdadeiro Deus e procura usar de revelações em lugar da filosofia estóica que enxerga deidades por outro ângulo de visão totalmente distorcido, sem qualquer entendimento sobre o criacionismo. Em contraste com o panteísmo estóico, ele ensina sobre o monoteísmo introduzindo Deus, o criador do mundo e de tudo que nele existe.  A argumentação de Paulo enfatiza a organização do universo e da criação ordeira que só pode existir dessa forma originada por um Deus pessoal e não por uma pluralidade de deidades. Assim Deus é anunciado pelo apóstolo com toda convicção, de que Ele é o único governante e sendo um Deus teísta, cuida de tudo o que Ele fez, inclusive naquele momento, que através do apóstolo estava cuidando de tirar a venda dos olhos daquela platéia para que enxergassem o que eles não conseguiam ver na sua ignorância. Quando Jesus disse para irem por todo o mundo pregar o evangelho, Ele estava falando com os discípulos que foram ensinados em todo o Seu ministério. Todos que Jesus deu o seu ide, estavam preparados para essa missão. Não é de qualquer maneira que se evangeliza.  Paulo só conseguiu algum sucesso em Atenas, porque tinha conhecimento.
3. Deus no Éden criou o homem para viver em unidade, e o pecado desuniu.
Atos 17.26 E de um só sangue fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados, e os limites da sua habitação;
Paulo na sua obra evangelizadora faz uma declaração na sua prédica sobre a unidade da raça humana, mostrando o desagrado divino pela fragmentação da unidade da raça humana, principalmente diante do preconceito racial, seja entre gregos e judeus, como entre povos brancos e negros. Deus no princípio ao criar o primeiro homem puro e perfeito, era para as suas gerações viverem em unidade, porém, Satanás que sempre age para arruinar as coisas de Deus conseguiu habilidosamente induzir o homem ao pecado. Essa falta de unidade se fragmentou de vez no episódio da Torre de Babel, quando Deus confundiu as línguas e raças que se dividiram para todos os cantos da terra. Deus separou um povo para ser sua propriedade exclusiva, os quais deveriam viver em unidade, mas não quiseram com o tempo se enquadrar nos padrões divinos. Dessa forma, Deus separou outro povo chamado igreja através da obra sacrificial do Seu Filho Jesus, para serem um povo unido, mas nem todos seguem esse padrão e prejudicam o crescimento do reino de Deus na terra.
4. Deus chama o pecador, mas por ignorância persistem em não atender.
Atos 17.27 Para que buscassem ao Senhor, se porventura, tateando, o pudessem achar; ainda que não está longe de cada um de nós;
Deus por ser onipresente, nunca estará longe de cada um de nós, sendo que em todos os lugares está a Sua presença e tem  os seus olhos sobre nós a todo instante e nos conhece mais do que a nós mesmos. Em relação às multiplicidades de imagens confeccionadas representando divindades, o apóstolo procura mostrar aos ouvintes o absurdo e a inutilidade delas. Isso porque, Deus é Espírito e age em Espírito invisivelmente e por isso ninguém pode querer fazê-lo presente através de uma imagem. Acontece que a humanidade por pura ignorância e com uma mente cegada pelo deus deste século, o qual é Satanás, que consegue incutir em muitos a tolice de pensar que Deus o Ser divino seja semelhante às imagens de ouro ou prata feita pelos homens. Em qualquer lugar, Deus deve ser reverenciado, onde quer que estejamos, fora, ou dentro de templos, Ele é chegado a todos os que o invocam, ou adoram. Somente ao Senhor teu Deus adorarás  e importa que os Seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.
5. Deus é a fonte de toda vida e dependemos dele todos os dias para viver.
Atos 17.28 Porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos; como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração.
Assim como a fauna; a flora e a natureza dependem de Deus, também nós muito mais devemos ter essa dependência, pois Ele é a fonte da nossa vida e a lonjura dos nossos dias.  Na sua conclusão evangelística, Paulo faz o anúncio para que houvesse entre aquela plateia um desejo consciencioso por libertação e deixassem os tempos de ignorância. O arrependimento é essencial para toda alma, pois haverá o dia que de uma forma súbita, Deus aplicará a Sua justiça para julgar o mundo e, sem arrependimento não há salvação; e sim o juízo eterno. Todos os pecadores serão julgados e destinados a condenação eterna e ninguém poderá escapar das suas mãos.
Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel

Deixe um comentário